sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Piornos — Reserva '2007

Da Adega Coop. da Covilhã. Feito de Trincadeira e Jaen, cepas implantadas em solos essencialmente xistosos, fermentou em cuba, mosto junto com as películas, a temperatura controlada, tendo estagiado durante seis meses em carvalho francês e americano antes do engarrafamento. Nada de estranho.

À mesa, cumpriu, sem reservas. Vinho correcto, de porte mediano, com alguma textura e bastante equilíbrio, mostrou fruta de razoável densidade, eu diria que preta, às vezes a tomar tons carregados, o que não surpreende quando se pensa no calor dos verões da região. Com ela, algum vegetal, pareceu-me, e caramelo e baunilha, estes sim, sem dúvida. Tal como o Alorna do post do último dia dez, pareceu-me gulosinho, pensado para agradar a muitos. E tal como ele, também é um vinho barato, que nem sempre chega aos 3€, e relativamente fácil de encontrar, pelo menos por aqui. Comparando-os, talvez este seja menos polido, talvez mais raçudo. No fim, pareceram-me do mesmo naipe.

Apesar de ligar bem com sardinhas assadas (com batatas e pimentos), pelo menos de acordo com o interessante Harmonias ComProvadas, preferi bebê-lo com salsichas de churrasco. "Ele é mais porco e vinho tinto", nunca ouviram dizer? :)

15