terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Lavradores de Feitoria — Gadiva Reserva '2009

Douro moderno, honesto e bem feito, com aquela fruta e aquele mato que nem por um momento permitem que subsista qualquer dúvida sobre a sua origem, com corpo, textura e uma ponta de madeira solta. Mais intenso e troncudo que o colheita que lhe corresponde, terá, como o produtor adianta, algum potencial de envelhecimento — gosto sempre de perceber tal termo como margem de progressão.

As uvas, 50% Tinta Roriz, 35% Touriga Nacional e 15% Touriga Franca, fizeram-se vinho em cubas e lagares, com desengace total e macerações prolongadas, vinho esse que depois estagiou em barricas, novas e usadas, de carvalho francês.

Bebi-o ao cabo de um daqueles dias tristes, de chuva, em que só apetece ficar debaixo de cobertores, sem fazer nada, nem sequer pensar na vida que nos obriga a sair e enfrentar as feras lá fora, logo de manhã. Bebi-o com frango assado neste estilo. Comfort food.

6,50€.

15,5