quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Redoma '2010 (Branco)

Da Niepoort. As uvas Rabigato, Códega, Donzelinho, Viosinho e Arinto, entre outras, diz a respectiva ficha técnica, de cepas com 40 a 80 anos, plantadas em altitude, fermentaram em madeira, tendo o vinho resultante estagiado sobre as borras finas durante os 9 meses seguintes, sem bâtonnage e sem maloláctica.

Foi servido fresco, directo da garrafa para o copo, quase sem arejar. Flores brancas e tremoço — basto Cerceal? Mais distintos, lá no fundo, ligeiro fumo e cheiro a rosas.

Na boca, mais melão, ou talvez meloa, e um equilíbrio notável entre corpo e leveza, entre frescor e redondez.

No fim, sem que me tenha cheirado a nada para além de vinho branco, sóbrio, trouxe-me à memória uma data de coisas. Isto é complexidade e finura. Os vinhos que consigo trazem disto são sempre bons.

Acompanhou polvo assado, uma das muitas variantes sem vinho tinto no tempero.

14€.

16,5