quinta-feira, 23 de maio de 2013

Domingos Soares Franco, Colecção Privada — Grüner Veltliner, Rabigato e Viognier '2012

A austríaca Grüner Veltliner é a casta autóctone mais importante do seu país. Costuma dar vinhos leves e frescos, com distintivo toque de pimenta branca, por vezes capazes de envelhecer bem. Já a francesa Viognier se associa a caldos menos ácidos e mais gordos, caracteristicamente florais em jovens. E da duriense Rabigato, mais utilizada para trazer frescura a brancos de lote, podem resultar varietais notáveis. Este vinho, singular lote de campo das uvas supra, todas elas criadas no sopé da Arrábida, fermentou em inox e foi engarrafado, sem estágio, em Outubro de 2012.

Veio para a mesa muito frio. Recordou-me então certas noites dos velhos tempos, o travo fraquinho de restos de whisky mega diluídos nos cubos de gelo que ficavam a derreter no fundo do copo. As luzes amarelas do Cais, onde tanto gostava de jogar Trivial e Diamond Elevens nas máquinas, às vezes com o meu irmão; a penumbra do Metalúrgica, ainda quase vazio, ao princípio da noite.

Esperava que se soltasse com o passar do tempo no copo, mas tal não chegou a acontecer. Acompanhou lulas grelhadas no carvão, batatas cozidas (com azeite da Casa Sta. Vitória) e bróculos ao vapor, sempre ligeiro e muito fresquinho, de contornos vegetais, às vezes claro nas sugestões de carioca de limão.

A garrafa foi oferecida pelo produtor, que recomenda um PVP de 9,49€.

14,5