quarta-feira, 17 de julho de 2013

Adega de Vila Real — Grande Reserva '2009

A seu respeito, a apresentação que o produtor disponibiliza no respectivo sítio da internet refere Tinta Barroca, Tinta Roriz, Tinto Cão, Touriga Franca, Touriga Nacional, uma percentagem de vinhas velhas plantadas em altitude e estágio prolongado, sem definir com precisão o respectivo intervalo de tempo, em barricas de carvalho francês (75%) e americano.

Comprado após a boa experiência havida com o do post do passado dia 14/7, não desapontou. Trouxe consigo fruta com foco e profundidade, um toque de especiaria, alguns cheiros que conoto sempre com a presença de tourigas, chocolate preto, tosta e baunilha das barricas onde estagiou, e uma estrutura, sem surpresa, consideravelmente superior à do Reserva (maior e mais madura).

Ora, apesar de ser um vinho gordito que se fartou de sugerir coisas de carácter quente, até se mostrou bastante fresco durante as mais de duas horas que esteve aberto, não tendo o factor exposição contribuído para que a dada altura se tornasse mais morno ou pesado; primeiro a fazer companhia a um coto de peru assado, depois com Cheddar velho e o filme do próximo post.

7€.

16