segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Sovina Amber

Refere o produtor ser esta cerveja com 6% de volume alcoólico "a recriação do estilo artesanal produzido apenas nas zonas cerealíferas francesas, junto à fronteira belga".

Vertida fresca numa tulipa grande, mostrou cor alaranjada e uma coroa de espuma viva, mas ligeira, algo fugaz. Quanto a flavour, não se afastou do esperado — malte e lúpulo quanto baste, tosta, um pouco de fruta, apimentados — excepto em certo singular amargor, mais evidente no fim de boca, e que marcou a prova.

Não se compara, de facto, às pilsener industriais, genéricas, que representam a maior parte da cerveja consumida em Portugal, mas também não é com essas que se deve comparar. Ora, colocada lado a lado com os seus presuntivos pares, aqueles em cujo perfil é inspirada, o que me pareceu, por alto e de memória, é que terá, por norma, alguma dificuldade em equalizar.

O preço por garrafa de 33cl anda entre os 2 e os 3€.

P.S. Consta que o nome foi escolhido à margem do significado da palavra, apenas porque soava bem e todas as outras opções estavam tomadas.