terça-feira, 22 de outubro de 2013

Evel '2011 (Branco)

O nome é a palavra leve, ao contrário. A respeito da sua composição, o contra-rótulo indica Moscatel Galego, Viosinho, Arinto e Fernão Pires, embora conste que na  apresentação oficial desta colheita, o enólogo responsável tenha referido a substituição do Moscatel por outras coisas.

Cor palha. Muito fresco, trouxe consigo generosa quantidade de maracujá e goiaba, flores rasteiras e raspa de limão maduro. Cheiros e sabores desenvoltos, a fluir com naturalidade. Gordinho, texturado, pareceu-me ser daqueles vinhos em que o perfil deliberadamente fácil não um carácter de alguma forma fugaz.

Acompanhou, em sucessão, carapaus no forno e frango de churrasco. Tendo ligado bem com ambos, como não podia deixar de se esperar, gostei mais dele com o segundo prato.

4€.

16