quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Velharias (39)

Castelo Branco, 3h20 da madrugada. Estão 34ºC, respira-se fumo. M droga-se enquanto joga xadrez com um gajo giro e bom, algures para os lados da Zambujeira. X envia-me Pablo Neruda por SMS. Sobre sonhos feitos desejos, desejos sonhados, sonhos desejados para lá do tempo. Mas afinal está apenas bêbeda e frita, algures pelas Caldas ou arredores.

E eu? Online. Passei a tarde a dormir. Sonhei com S. Andávamos fugidos de algo ou alguém pela
baixa da tal cidade que é sempre a mesma. A dada altura, entrámos no que parecia ser uma pequena pensão de província. Portas de alumínio, dois pisos, um cafezito que parecia a Locomotiva a servir de recepção e lobby.

Acordei quando de alguma forma tropeçámos num americano de t-shirt amarela e calções de praia que lá estava sentado a beber cerveja. Acordei meio em sobressalto e esqueci-me da maior parte dos pormenores, que curiosamente foram voltando com o café de depois do jantar.

A tarde fez-se sessão de blitz no ICC. Não correu mal de todo. Ainda assisti ao início do relay do Radjabov - Leko. O puto R joga mesmo bem. Simples e bonito. É um gosto vê-lo. Depois a cidade ficou às escuras.

Dois discos:
The White Stripes, White Blood Cells e Leftfield, Leftism.

E uma palavra:
retromingent. Adjectivo, diz-se dos animais que urinam para trás.


3/8/2003