domingo, 29 de dezembro de 2013

Herdade do Portocarro '2009

Este vinho também tem a fruta escura e evoluída e as folhas de tabaco e eucalipto secas ao sol que encontrei no do post anterior. No entanto, é completamente diferente, robusto, com fruta carregada em destaque e um cheiro característico, que costumo encontrar em tintos que na sua elaboração de alguma forma passaram tempo em vasilhas de madeira de grande capacidade.

Sugestão, talvez, porque este é um vinho cujos predicados conheço. Terá também sido por sugestão que a dada altura me pareceu que de facto levava Alfrocheiro? Não foi pelas flores que lá fui, que não abundam. Nem pela estrutura bem definida, de acidez e taninos firmes, bons. O vegetal seco, a forma como me pareceu vincado o carácter escuro da fruta, possíveis pistas.

Foi obtido a partir das castas Aragonês, Alfrocheiro e Cabernet Sauvignon, com fermentação em balseiros e posterior estágio (um ano) em barricas de carvalho francês. O produtor é José A.L. da Mota Capitão, com enologia de Paulo Laureano. A edição de 2007 marcou presença nestas páginas.

8€.

16,5