segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Álvaro Castro '2009

Do Dão, lote de Alfrocheiro, Touriga Nacional e Tinta Roriz, com estágio em madeira usada, é um tinto de volume mediano e intensidade interessante, com boas sugestões de baunilha e frutos do bosque.

Na noite em que o abri, apontei no caderninho que "o foco está na fruta e o veículo é a acidez", e noto pela letra que até o escrevi com algum entusiasmo, mas, pensando bem, tal observação pouco poderá trazer a um conjunto de notas sobre este ou qualquer outro vinho, dado que, mais que o resultado de uma receita habitual, acaba por ser uma daquelas generalidades vagas que é possível dizer sobre a vida e estão sempre bem.

Pareceu-me melhor, mais sério, no dia seguinte, não sei até que ponto por sugestão; no entanto, nem imediatamente depois de aberto lhe apanhei qualquer travo doce relevante.

Resumindo, não está mal, mas gostei menos dele que da maioria dos seus predecessores recentes.

6€.

15, talvez.