terça-feira, 26 de agosto de 2014

Mais um post que facilmente poderá ser interpretado por quem não me conhecer como mais um elemento para fazer volume, ocupar o vazio de conteúdo. Mas não. Prezo muito os meus torneios com motores de xadrez antigos. Na maioria das vezes ficam a jogar sozinhos, mas se não existir interface que suporte ambos os intervenientes numa das partidas, é necessária intervenção humana e eu tenho paciência para isso. A S odeia :) Seleccionei estes três de um lote de jogos recentes, de 30 minutos para cada lado, na máquina i5. Tempos e avaliações, apaguei: isto é para ser mais lúdico que didáctico.