sábado, 27 de dezembro de 2014

Quinta da Cassa — Reserva '2009

Domingo passado, levei um frango do campo ao forno, dentro de um pyrex, com bastante azeite, alho e limão.

Acompanhou uma garrafa deste Douro extraído, cheio de frutos negros, sobremaduros, a sugerir origem quente, junto com tabaco e os fumados e tostados com que o estágio em barrica (18 meses em carvalho francês de segundo e terceiro vinhos) o marcou. Tem taninos algo terrosos e não obstante a acidez presente, subsiste algum calor, a par de um ligeiro amargo que não deixa de se notar no fim de boca.

Posto isto, e embora se me tenha afigurado, sem qualquer dificuldade, como vinho honesto e bem feito, não entusiasmou. Talvez não seja culpa dele: apesar do frio dos últimos tempos e dos comeres ricos em estrutura e gordura com que por vezes o tentamos afastar, noto que tenho andado a preferir, por sistema, vinhos mais frescos e ligeiros. O produtor tem presença na internet.

6€.

15,5