sábado, 17 de janeiro de 2015

Quinta dos Carvalhais — Encruzado '2010

Ando a beber menos, o que implica que também experimente menos. Já reparei que, em consciência ou não, quando vou ao vinho, acabo por trazer, quase sempre, coisas conhecidas e já aprovadas, sendo que, quando abro uma excepção, é mais por força da curiosidade — o apelo das coisas que se me afiguram novas, diferentes — que da sugestão — o apelo das coisas que acho que me estão a ser apresentadas de modo a quererem apetecer, sobretudo a quem não as conhece.

Este Monocasta Encruzado da colheita de 2010, abatido numa altura em que o de 2013 já está no mercado, pertence ao venerável grupo das coisas conhecidas, que se repetem, com prazer, muitas vezes. Servido directamente da garrafa, recentemente saída da porta do frigorífico, começou por acompanhar uma delicada empada de galinha e azeitonas, do Afonso, que não assoberbou, para logo depois se bater com o bacalhau cozido do jantar.

As impressões do momento foram "Cor palha. Encorpado e ainda muito rico na acidez, com caroço de pêssego, baunilha e tropicalidade, num todo que é ao mesmo tempo sóbrio e bem intenso. Sem arestas, nariz e boca, frescura mineral e espessura gorda de sabores, quase perfeitamente ligados. Com o passar do tempo no copo, notas de geleia e frutos secos. Fim de boca longo e redondo". Gostei muito.

13€.

17