sábado, 21 de fevereiro de 2015

Domingos Soares Franco, Colecção Privada — Moscatel de Setúbal "Armagnac" '2004

Na ficha disponibilizada pelo produtor lê-se que "em 1998, Domingos Soares Franco decidiu que era altura de evoluir no Moscatel de Setúbal. Então, iniciou 5 anos de ensaios em que, com uvas da mesma vinha, fez vinho com 4 tipos de aguardentes diferentes: uma neutra, outra de origem da região de Cognac, outra de origem da região de Armagnac e um quarto lote com 50% destas últimas. Após 5 anos de provas, prevaleceu a do Armagnac, pela sua subtileza, frescura, complexidade e harmonia."

Servido a 12ºC, trouxe consigo, para além das flores brancas e casca de laranja cristalizada, a par das notas meladas e de frutos secos que se vão pronunciando nos bons moscatéis com o passar dos anos em madeira usada, um certo travo que acho típico do Armagnac, que no nariz faz lembrar, a grosso modo, cola, e na boca parece transmitir certo toque salino. O sabor, como não podia deixar de ser, é doce e glicerinado, mas mais fresco e assertivo que o do Roxo do post anterior. E isso é porreiro.

À mesa, aceitou coisas mais intensas que o seu já referido parente. Ligou divinamente com pão de ló, por exemplo.

PVP recomendado, 18,95€.

17