domingo, 5 de abril de 2015

Quinta da Fata — Encruzado '2011

Apesar de nunca aqui ter escrito nada sobre ele, este varietal Encruzado, engarrafado após cinco meses de permanência em inox, com bâtonnage, pela Quinta da Fata, de Vilar Seco, Nelas, é um meu muito estimado conhecido, cuja evolução tenho tido a oportunidade de acompanhar.

Desta vez, servido directamente da garrafa, após meia hora no frigorífico, trouxe consigo pêra e vegetal verde em diversas expressões, umas vezes como folhas de árvore, escuras, secas entre papel, outras a fazer lembrar polpa de maracujá, outras ainda, a tomar contornos balsâmicos.

Não adquiriu traços tropicais de relevo (coisas amarelas ou alaranjadas, mais doces) com o passar do tempo no copo, mas, a dada altura, pareceu começar deixar notas de amêndoa amarga, sobretudo no retronasal. Na boca, confirmou a frescura — e está macio como seda.

Acompanhou pão torrado, ora com patê de boletos, ora com queijo de cabra pouco curado, trazidos para a mesa em jeito de entrada e a que se seguiu um salteado de peito de frango e bróculos, com arroz branco. Enfim, mais um jantar sumário, daqueles de meio da semana, que nunca poderão ser rápidos ou reconfortantes de mais.

7€.

17