domingo, 27 de setembro de 2015

La Rioja Alta — Viña Arana, Reserva '2006

O vinho de hoje, salvo seja, é um quase varietal de Tempranillo, temperado com 5% de Mazuelo, de uvas da região de Rodezno, localidade próxima de Haro, Capital del Rioja.

O produtor disponibiliza informação q.b. na internet sobre a sua elaboração, mas, resumindo, poderá dizer-se que após ter sido deixado fermentar, estagiou durante três anos, com trasfegas semestrais, em barricas usadas, com uma média de idades a rondar os quatro anos. Aqui, e não só, vem na sequência deste.

De cor vermelha, cereja, não precisou de muito tempo para se soltar, apesar de servido directamente da garrafa. E como se mostrou!

Fiel ao estilo "Rioja clássico", trouxe consigo cheiros intensos, a frutos do bosque, vermelhos, ora ácidos ora confitados, a par das marcas características do estágio prolongado e ligeiramente oxidativo: por entre balsâmicos e especiarias, café e folha de tabaco, baunilha e coco.

De paladar necessariamente ligeiro face à substância evidenciada, possui uma acidez de grande firmeza, mas não abrupta, o que muito ajuda à percepção de equilíbrio que desde já transmite.

Termina longo, raçudo, a prometer muitos anos em garrafa. Poderá nem sequer ser considerado dos melhores Arana recentes (2001, 2005), mas não hajam dúvidas de que vale a pena conhecê-lo.

Acompanhou uma das nossas pizas, com vários queijos. Não que não tenha estaleca gastronómica para mais, mas, cá em casa, quando se oferece piza a um vinho, é uma espécie de homenagem que se lhe faz. Não tentem entender.

14€.

17,5