terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Castelo de Azurara — Aragonez '2012

Este varietal Aragonês, também estagiado durante meio ano em madeira americana, mostrou-se o mais frutado e também o mais limpo e bem definido — o melhor dos três "Azurara" que bebi na semana passada.

É um vinho de dimensões medianas, fragrante sem ser super concentrado e possuidor de um fim de boca longo q.b., que trouxe consigo, de facto, as reminiscências de nozes que a ficha técnica prometia e eu tanto gosto de encontrar nos tintos secos. Tal como o do post anterior, deixa um pouco a ideia de ter sido feito a régua e esquadro, mas a suculência que evidenciou perdoaria muitas falhas, caso as tivesse.

Acompanhou uma feijoada vegan, onde os enchidos da praxe e/ou demais partes "vis" do porco teriam encaixado na perfeição, caso tal se tivesse proporcionado. Levou uma lata grande (800g) de feijão vermelho, cozido, 190g de tomate frito, também já preparado, duas cenouras, meia cebola, meio pimento vermelho, quatro dentes de alho e meia couve coração, de dimensões regulares, com a certeza de que também teria ficado bem com outras espécies.

A cebola refogou em meia colher, de sopa, de azeite, tendo-se-lhe juntado, por esta ordem, a cenoura, cortada em rodelas, o tomate frito, meia colher, de chá, de cominhos, e outra meia de paprika, depois o alho, sal e, por fim, o feijão, escorrido, bem como, eventualmente, um pouco de água. Por fim, após ter cozinhado um pouco, a couve e o pimento, em tiras finas.

5€.

16,5