quinta-feira, 17 de março de 2016

Borges — Dão Reserva '2009 (Branco)

Hoje começo pelo fim: que grande branco! Volumoso mas acima de tudo muito fresco, independentemente do tempo no copo, da temperatura, da exposição ao ar depois de servido, apesar dos 14,5% (!) de teor alcoólico que apresenta.

Encontrei-lhe limão, pêssego, maracujá e certo tipo de perfume abaunilhado, de barrica, que tenho encontrado em alguns bons brancos "com madeira" do Dão — este, em particular, veio à memória.

Na boca, é veludo. Denso, mas sem pesar, sem amargar, sempre conduzido por uma acidez super firme, mas que, ao beber, nem sequer parece objectivamente grande. Ilustra perfeitamente a ideia de que porte não tem de ser sinónimo de peso. Longo e elegante, está uma delícia.

Reflecte a idade que tem em maturidade: integração sem decadência. Muito me supreenderia se não tivesse, ainda, muito tempo para viver e mudar!

Ofereci-lhe o nian gao do Wok King, com dobro de porco, e foram amigos.

Da colheita de 2009 deste lote de Encruzado e Malvasia Fina, elaborado com uvas da Quinta de São Simão, da Aguieira, concelho de Nelas, encheram-se 7882 garrafas, não numeradas. O produtor tem presença na internet.

10€

17,5