terça-feira, 22 de março de 2016

Sino da Romaneira '2011

É o vinho de entrada da Quinta da Romaneira, de Cotas, Alijó.

Lote composto por 40% de Touriga Franca, 30% de Tinta Roriz, 20% de Tinto Cão e 10% de Touriga Nacional, fruta proveniente de cepas implantadas em chão de xisto, aqui, foi vinificado em cubas, a 25/28 graus centígrados, e engarrafado, em Junho de 2013, após 14 meses de afinação em barricas de carvalho francês.

A caminho dos cinco anos, está equilibrado, macio e fácil de beber. De porte mediano e recorte delicado, apresenta, sem surpresa, alguma complexidade, com a barrica bem fundida no cerne de fruta negra, madura, que é e será, enquanto viver, a sua marca dominante.

Mas tem mais que isso: florais e especiados, de carácter razoavelmente quente e adocicado, a par de um toque de fruto seco, provável resultado do tempo em garrafa, que aparenta estar agora a despontar.

Não evidencia cansaço, mas ao estilo "simples e puro" em que foi feito cai bem aquele viço que apenas a juventude garante. Assim, apesar de estar bem bom, deixou a suspeita de que deverá ter sido melhor em novo.

Revendo as minhas impressões a respeito do seu predecessor da colheita de 2010, bebido mais cedo e que levou menos Touriga Franca e mais Touriga Nacional (25% de cada, em 2010, face aos 40%-10% do presente), sou levado a crer que o perfil se manteve. Noto ainda que os frutos secos — "nozes" — também estavam lá.

Para terminar, terá ficado mais barato: esta garrafa de 75cl custou um pouco menos que a outra, de apenas meio litro.

9€.

16