domingo, 17 de abril de 2016

Quinta da Fata — Encruzado '2013

Bem limpo nos aromas limonados e vagamente florais, silvestres, possuidor daquela profundidade indefinida a que muitos chamam mineral e que talvez faça, de facto, lembrar sílex, está um branco macio e gordinho, mas também contido e tenso, como um gato que se arqueia antes de saltar.

De intensidade e persistência medianas, tem um fim de boca muito fresco, com ligeiros apontamentos de amêndoa amarga. Está, sem dúvida, muito agradável, mas toda aquela seriedade que o marca, a raiar a circunspecção, deixa a ideia de que possui mais substância que aquela que acaba por transmitir.

E é sobretudo por isso que julgo estar um furo abaixo do seu antecessor da colheita de 2011, aqui publicado há um ano atrás.

Em todo o caso, estamos perante mais um belo vinho da Quinta da Fata, propriedade sita em Vilar Seco, perto de Nelas, que existe desde o final do século XIX e inclui aproximadamente 6,5 ha de vinha, junto com uma pequena pousada, que funciona na casa da quinta.

Varietal Encruzado, a única casta branca cultivada pelo produtor, este vinho fermentou em inox e barrica, com bâtonnage, durante 5 meses. O contra-rótulo di-lo ligeiramente filtrado, mas não estabilizado pelo frio, antes do engarrafamento; resultou com 13% de volume alcoólico.

Acompanhou assado de cantarilho, peixe do género Sebastes, também conhecido como red fish, com batatinhas, no estilo deste. Simples e bom.

7,50€.

16,5