sábado, 2 de abril de 2016

Titular — Alfrocheiro '2011

Depois do Encruzado, tive oportunidade de beber o monocasta Alfrocheiro da Caminhos Cruzados, de Nelas, também da colheita de 2011.

A respeito do seu processo de elaboração, o produtor refere que as uvas, após desengace, fermentaram em lagares, a temperatura controlada, com maceração, tendo o vinho estagiado em depósitos de inox e barricas usadas, "por mais um inverno", antes do engarrafamento e subsequente envelhecimento em cave.

Resultou um tinto de recorte maduro, alcoólico e estruturado, assente em fruta negra e sumarenta, sobretudo amora e ameixa, a par de alguma doçura floral, evidente no nariz mas nem por isso reflectida na boca, e de uns apimentados quentes e levemente picantes, bem mais presentes no paladar que ao olfacto.

Apesar dos 14,5% de volume, pareceu-me razoavelmente fresco, com boa harmonia de sabores e um final muito agradável, de comprimento apenas mediano.

No entanto, o que dele mais retive foi o toque vinoso da fruta, como se ainda fosse um vinho bem jovem. E se gostava de ter encontrado maior complexidade, isto, junto com a impressão que deixou de que só agora estará a começar a amaciar, leva a crer que possua atributos suficientes para poder continuar a evoluir positivamente, pelo menos nos próximos 3 ou 4 anos.

9€.

16,5