segunda-feira, 4 de julho de 2016

Altano — Quinta do Ataíde '2012 (Biológico)

Este veio da Quinta do Ataíde, propriedade da Symington localizada no Vale da Vilariça, perto de Torre de Moncorvo — em concreto, aqui: lugar de terreno plano e solo profundo, xistoso, com alguma argila, situado uns 150m acima do nível do mar, extremamente quente no Verão.

Engarrafado em Fevereiro de 2013, após estágio em barricas e inox, é um lote de Touriga Franca, Touriga Nacional, Tinta Roriz e Tinta Barroca, que teve origem em uvas de produção biológica, provenientes de vinhas com média de idades de 30 anos

Muito frutado e marcado pelas notas florais (e químicas) da Touriga Franca, trouxe-me à memória alguns dos primeiros "Altano" que bebi, como este, por exemplo, mas mais carregado, mais escuro e mais tostado também, sem dúvida em virtude da passagem mais prolongada por madeira  — a sua ficha técnica refere dez meses.

O paladar, macio e maduro, continua e amplia as impressões transmitidas ao nariz. A acidez é suficiente, os taninos estão bem trabalhados e o final, com toque achocolatado, muito agradável.

O produtor avança-lhe um potencial de envelhecimento de dez anos e, até ver, o vinho nada mostra que o desdiga. Mas, estando agora assim, valerá a pena esperar?

Com o chouriço artesanal que a D costuma comprar a uns amigos do interior profundo, esteve bem; com uma piza de queijos fortes, ode ao exagero de que me quero arrepender, quase divino.

7€.

16,5