domingo, 31 de julho de 2016

Barão de Figueira '2014 (Branco)

100% Síria de Figueira de Castelo Rodrigo, produzido pela Quinta do Cardo.

Do contra-rótulo: "Reza a lenda que numa das vinhas mais altas de Portugal (...) o Barão de Figueira, tendo ficado preso pelo estribo do seu cavalo, enquanto passeava, fez a promessa de construir uma capela no local onde o cavalo parasse. E assim aconteceu..."

Pesquisando, não consegui confirmar ou desmentir a história.

Ademais, o produtor adianta que em 2014, o Inverno da região foi longo e rigoroso, a Primavera quase inexistente e o Verão, quente e seco, como é habitual. Isto levou a uma vindima precoce, logo no princípio de Setembro.

As uvas foram prensadas inteiras, com engaço, e após a fermentação, que durou 4 semanas, o vinho daí resultante estagiou sobre as borras, com bâtonnage semanal, até ao engarrafamento.

Ora, comparando as notas do produtor na ficha técnica deste vinho com as que constam na do Quinta do Cardo Síria do mesmo ano, aqui, não detectei diferenças. Estarão elas escondidas nas generalidades referidas, terão sido vinhos produzidos da mesma forma, mas a partir de uvas de talhões diferentes, ou outra coisa qualquer?

Adiante. O vinho, servido directamente da garrafa, após um par de horas na porta do frigorífico, trouxe consigo generosa porção de frescura citrina e verde, junto com muitas flores silvestres, rasteiras, a maioria brancas, mas algumas amarelas também.

Curto, mas dotado de razoável presença, a par de algum peso, alguma cremosidade.

Com quase dois anos, está bom, bonzinho, a saber pela vida quando o calor aperta. Mas muito apagado quando comparado com o do próximo post, abatido na mesma tarde.

3€.

15