domingo, 10 de julho de 2016

Reguengos — Reserva '2013

Tinto de dimensões medianas, com mais força que longueur e longueur que corpo.

O sabor é seco e firme, com bastante acidez e muitos taninos, muito levemente amargo.

Generoso na fruta, com recordações de terra seca sobre discreto fundo tostado, pareceu-me ligeiramente vinoso numa primeira abordagem.

No entanto, melhor observado, o que nele parecia vinoso começou a mostrar-se mais e mais madurez, casca de laranja cristalizada, especiarias "quentes", gengibre em açúcar.

Não obstante, algo bidimensional, e se assim não fosse, estaríamos perante um caso sério. . .

Produzido pela Coop. Agrícola de Reguengos de Monsaraz, consiste num lote composto por 50% de Alicante Bouschet, 30% de Aragonês e 20% de Trincadeira.

A ficha técnica que o produtor disponibiliza no seu sítio da internet diz que fermentou por acção de leveduras seleccionadas, com curtimenta.

Parte do volume final estagiou em depósitos, tendo o demais passado um ano em barricas de carvalho português e francês.

Há muito que aqui não passava um vinho destes: o último foi da colheita de 2009, bebido em 2012, e tanto quanto me lembro, não se parecia nada com este.

Aliás, dos últimos que bebi, fiquei com a ideia que a CARMIM não persegue um perfil definido "pelo mercado", mau grado o que a terra der.

E se realmente assim for, mais interessante será.

4€.

15,5