quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Campolargo — Dão '2010

Segunda de duas garrafas de Campolargo do Dão, bebidas no mesmo dia, em jeito de micro-vertical.

O contra-rótulo diz o seguinte:

"Quinta vindima da nossa vinha de Lagarinhos, Gouveia. Boas condições de tempo antes e durante a vindima, feita em duas etapas separadas por cinco dias (23 e 28 de Setembro). Seguiu-se a fermentação conjunta de todas as castas em lagar aberto com pisa manual. Fermentação maloláctica em barricas usadas, de carvalho francês, onde permaneceu em estágio até ao engarrafamento".

Como o seu antecessor de 2008, é um Dão sério, mais "savoury" que "sweet", com toque terroso e acidez assertiva, às vezes quase agressiva, logo no ataque à boca. Também aqui a fruta é escura, mas menos transformada, de tal forma que se deixam perceber, razoavelmente limpas, tanto groselha como cereja. Revela, no entanto, bastantes especiarias, com a baunilha doce a fundir-se num floral alegre, que o anima.

De sabor já redondo, com ponta de evolução, está mais ligeiro e menos persistente que o outro, mas mais equilibrado, de tal maneira que acabei por preferi-lo.

Com estes vinhos, comemos bifes da vazia, maturados, preparados neste espírito, com maior inclinação para o processo indicado por Ramsey — aproveitem que desta vez o link é para um Youtube em vez de para uma qualquer coisa chata.

12€.

16,5