segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Quinta de la Rosa — Reserva '2012 (Branco)

Os brancos do produtor da vila de Pinhão não me são estranhos, mas, de alguma forma, nunca aqui veio parar nenhum.

As uvas deste provieram de vinhas velhas, com castas misturadas: 35% de Viosinho, 35% de Rabigato e quantidade não negligenciável, mas também não especificada, de Gouveio e Códega do Larinho, entre outras.

Metade do mosto fermentou e envelheceu em barricas; o restante, em cubas de inox. Foi engarrafado em Maio de 2013.

De cor ainda citrina, encontrei-o redondo na textura e vivo de acidez, com paladar agradavelmente seco e prolongado.

Após uma primeira impressão predominantemente floral e abaunilhada, perfume de barrica, mostrou-se mais cítrico, nuclearmente cítrico, e verde, folha e casca de limão, a par de sugestões de pedra e humidade — levou-me a um lugar fresco, onde corria água.

Fez lembrar, de certa forma, um Rioja de recorte clássico.

Ora, como para mim isto é "estar no ponto", apenas poderei recomendar que se beba.

10€.

17