quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Beyra — Reserva '2012

Este tinto de Rui Roboredo Madeira foi feito com Tinta Roriz, Jaen e Touriga Nacional criadas nos solos xistosos de Vermiosa, freguesia do concelho de Figueira de Castelo Rodrigo. Estagiou nove meses em barricas usadas de carvalho francês e americano.

Foi aberto para acompanhar um "Russian Beef Stew" — a estreia do Crock-Pot cá em casa!

Sem surpresas, surgiu ensolarado, cheio de frutos negros, dos quais uma parte em compota, misturados com generosa porção de tostados e baunilha doce, ou talvez vanilina. Poderá esta barrica ainda vir a integrar-se?

Na boca, boa acidez e uma profusão de taninos que, mesmo já maduros, muito continuam a contribuir para a impressão de robustez que prevalece.

Apesar do seu carácter maduro, não pende, de todo, para o lado do álcool. Termina razoavelmente longo, com notas de chocolate.

Dito isto, o problema: é um vinho honesto, bom, que, de alguma forma, não me conseguiu cativar. Terá sido a barrica, que não sendo defeito, eu teria gostado, pessoalmente, de ver menos vincada?

Ou será algo mais profundo e de certa forma transversal à generalidade dos tintos da "alta" Beira Interior que tenho tido oportunidade de experimentar? Será necessária a uniformidade de estilo que vejo? Será necessário procurar fazer à semelhança do Douro, ali perto?

Ou serei eu que não estou a perceber bem as coisas? Oxalá assim seja!

6€.

16