sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Barão de Vilar — Tawny 20 Anos

Este tawny foi engarrafado em 2015, após filtração.

A cor, aloirada, ainda foge para o vermelho.

No nariz, melado, com toque de moca, predominam frutos secos, mas também aparece uma quantidade interessante de raspa de laranja, que balança os aromas mais quentes, mais pesados.

Na boca, tem a estrutura fina, o toque aveludado e a persistência que se esperam de um vinho do género, mas uma acidez, uma vida algo acima do que habitualmente mostram.

Em todo o caso, essa "relação peso/potência" elevada não lhe comprometeu o equilíbrio — é francamente bom.

No seu sítio da internet, lê-se que o produtor foi constituído em 1996, a partir de um stock de vinhos adquirido por Fernando van Zeller e cedido aos seus filhos.

Costumava comprá-lo no LIDL, onde se pode (ou podia) encontrar, pelo menos, dez euros mais barato que qualquer das propostas afins da concorrência.

Prefiro este tipo de vinho com bolos de frutos secos. Como, por exemplo, este, que não me farto de recomendar.

15€.

17,5