sábado, 21 de janeiro de 2017

Morgado de Silgueiros '2013 (Branco)

Foi o vinho do jantar do dia em que o haxixe voltou.

Vinho e haxixe! — à excepção de alguns Porto, sobretudo aqueles tawny cujas sugestões de frutos secos realçam a terrosidade do tabaco, não tenho extraído resultados satisfatórios das minhas tentativas de os combinar.

Por esse motivo e porque o fumo embota o olfacto e o gosto, tenho preferido fumar algo antes e logo depois de comer.

Assim, meia hora antes do almoço, o haxixe, dizem eles que com 30-35% de THC, de corpo e fumo a meio caminho entre pólen e carrasco, foi consumido em gordos charros feitos com tabaco Dunhill, mortalhas Smoking e filtros de cartão.

Depois, com caldeirada, um branco da Adega de Silgueiros: Encruzado e Malvasia Fina, sem barrica, a mostrar citrinos sobre fundo melado e ligeiras notas de garrafa.

Manterá algum do frescor que lhe gabaram em jovem, mas não me pareceu de guarda.

De qualquer forma, superior ao seu congénere tinto do mesmo ano.

3€.

15