sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Marka '2009

Por enquanto, evito resumir as minhas notas a "gostei" ou "nem por isso", mesmo quando, depois de ter apreciado um qualquer vinho com vagar, e daí ter opinião formada sobre se cheira mais a ameixas ou a cerejas, se é fresco ou morno, sinto que não tenho nada mais a dizer a seu respeito.

Poderei até ter garatujado algo enquanto bebia, mas dias depois, na altura de transportar essa informação para aqui, parece tudo tão sem sentido. Desses, acabo por só referir aqueles que tiverem conseguido despertar em mim interesse suficiente para compensar o esforço exigido pelo acto de escrever uma dúzia de linhas sobre eles.

Não que a minha opinião seja importante, mas já que estou a fazer algo...

Fica então o apontamento de que este está um tinto composto, rico na fruta polpuda, de carácter maduro, com boa presença de especiarias doces, manifestamente não exclusivas da madeira, e que termina com nota de tabaco. Por enquanto, mostra maturidade sem velhice — aplicada à alma, que ideia tão profundamente cristã!

Produzido pela Durham-Agrellos, consiste num lote composto por 55% de Touriga Franca, 40% de Tinta Roriz e 5% de Touriga Nacional, parcialmente estagiado, oito meses, em barricas de carvalho francês.

7€.

16


Não relacionado com o teor do post: ocorreu-me que podia ser boa ideia adicionar um world of text aos contactos do blog. A ver.