quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Vinha Grande '2015 (Branco)

Por outro lado, há vinhos/momentos fecundos em observações.

Como este, a ligar muitíssimo bem com uma variação vegetariana do clássico chicken tikka masala em que, entre outras alterações, a galinha é substituída por grão de bico.

Fresco, traz consigo um conjunto de aromas amplo e agradável, com alguma contenção no nariz e força considerável na boca.

Tal como o entendo agora, será a barrica o seu traço característico maior, pelo leque de especiarias que coloca sobre o núcleo limonado, sem assoberbar.

Apesar de rico e bem dimensionado, permanece afastado do exagero. A acidez não fere, o corpo não pesa, as flores não enjoam. E termina com um belo toque salino.

Pouco diferente no dia seguinte — mais cheiro a banana. Jovem de tipo firme, deverá viver em garrafa mais uns anos.

A ficha que o produtor oferece online di-lo composto por 40% de Viosinho, 30% de Arinto, 10% de Gouveio, 10% de Códega e 10% de Rabigato.

Uvas da Quinta do Sairrão, adquirida  em 2006 pela Sogrape, que já era proprietária da A.A. Ferreira SA, com as marcas Ferreira para vinhos Porto e Casa Ferreirinha para vinhos Douro.

Nas palavras de Mark Squires, "Sogrape is Portugal's 800 pound gorilla, a huge company that has holdings throughout the country".

Fermentou primeiro em inox e depois em barricas, onde estagiou 8 meses antes de engarrafado. É o primeiro branco da Casa Ferreirinha.

8€.

17