sexta-feira, 23 de junho de 2017

Tinto da Talha — Grande Escolha '2010

Um "premium" da Roquevale, de Redondo. Há muito que não revisitava este tinto, que continua a não enganar.

Feito na edição de 2010 com Aragonês e Touriga Nacional, vinificadas em separado, embora celebre a tradição romana, que ainda vigora na região, do uso da talha, não viu barro, mas um breve estágio, de cerca de três meses, em barricas novas de carvalho francês e americano.

Cor rubi, sem grande opacidade ou mostras de evolução.

Nariz tipicamente alentejano, com frutos pretos, vegetal seco, madurez, especiarias "quentes" e um aroma etéreo, entre o floral e o químico: certamente da Touriga, mas nada tourigão.

Na boca, porte mediano e carácter capitoso, mau grado a acidez. Tem alguma textura e termina satisfatoriamente longo e especiado.

Indo bem com comida, mesmo pratos robustos, não exige a sua presença para se deixar apreciar. No meu caso concreto, acompanhou bifanas, primeiro, e uma interpretação próxima desta do infame "chicken parmesan", depois.

Em ambos os casos, escorreu "como água sobre as lajes".

Escrevi aqui a respeito de um 2003 notável: colheita que, diz a internet, continua em bom plano. Que pena não ter guardado!

7€.

16,5