segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Château de L'Ecole '2010

90% Sémillon, 10% Sauvignon, é um Sauternes de Julie Gonet-Médeville, que também possui o Château Gilette.

Só que ao contrário desse, aqui temos um vinho de ataque, daqueles feitos mais para obter rentabilidade no mercado que para espalhar pelo mundo a alma daquela terra, preservada em garrafa.

Bouquet de complexidade razoável, com boa projecção: citrinos e abacaxi em primeiríssimo plano, mas também ameixa branca, alperce, pêra, mel, biscoitos, flores etc., sem o esmaecimento ou a decomposição "doce" que muitas vezes vem associada ao género.

Na boca, sabores consentâneos com o nariz, tendencialmente cítricos e amanteigados, alguma untuosidade e persistência satisfatória. Teria proporcionado melhor prova se tivesse um bocadinho mais de acidez e se esta não estivesse tão voltada para o lado cítrico do conjunto — assim acabou por parecer algo unidimensional, e pior, chocho.

Em suma, não fez um brilharete, mas valeu pela curiosidade. Não me pareceu pior que a generalidade das propostas da nossa produção nacional no que respeita a vinhos do mesmo género e preço — será, até, mais limpo e vivaz que a generalidade deles.

Ainda assim, com o que custa, compra-se um bom tawny "dez anos". Estou a comparar maçãs com laranjas, mas, às vezes, quem compra precisa de fazê-lo e eu, por norma, prefiro maçãs.

12€/37,5cl.

15,5