sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Quinta do Infantado — Reserva '2008

tanto tempo que aqui não comentava nenhum vinho da Quinta do Infantado! Não me afastei deles: simplesmente, hoje em dia há tanta diversidade de oferta, tantas novidades, tantas propostas de outras paragens, que um indivíduo acaba sempre por deixar algo para trás e esse algo costuma ser, mais frequentemente do que devia, concedo, os seus clássicos pessoais, aqueles que sempre estiveram e nunca enganaram.

Este "reserva" é o topo de gama do produtor no que concerne a tintos secos. Foi vinificado em lagar, com pisa a pé, e estagiou, 14 meses, em cuba e barricas de carvalho. Abri a garrafa nº 3824 de 8799 (e 212 magnum) que se encheram a 20 e 21 de Maio de 2010.

Vinho de enorme estrutura e concentração, mostrou-se também muito fluido, muito elegante, fresco e bem proporcionado, coisa que não é trivial num Douro deste porte e idade! Rico em fruta, negra, bem definida, e perfumado com notas de café e seu licor, tostados, pimentas e outras especiarias, é complexo, interessante, bonito.

Talvez por ter sido consumido de uma vez, levou-me a uma frase antiga: "fechou-se para fora, mas derramou-se para dentro".

Acompanhou pintada assada.

27€.

18