Sobre a classificação dos vinhos

"But, perhaps strangely for someone who studied mathematics at Oxford, I’m not a great fan of the conjunction of numbers and wine. Once numbers are involved, it is all too easy to reduce wine to a financial commodity rather than keep its precious status as a uniquely stimulating source of sensual pleasure and conviviality."

Jancis Robinson.



Acima de tudo, atribuo aos vinhos que aqui publico numerozinhos da qualidade porque gosto de sistematizar. Já repararam que as fotos encostadas à esquerda têm todas a mesma largura? Que até há bem pouco tempo tinha problemas em devolver hiperligações a blogues cujo autor não "justificasse" o texto?

Por isso, e também porque tenho dificuldades em ir contra aquilo que considero certo para me cobrir com capas de seriedade ou conveniência feitas essencialmente para agradar a terceiros, embora tente que a minha apreciação e, por conseguinte, as minhas classificações sejam minimamente fiéis aos atributos objectivos da coisa provada, jamais deixarei de dar o espaço que considerar necessário a uma conjugação de outros factores que em nada dependem do que está dentro do copo, sejam eles questões de disposição física, a emoção do momento da prova, outros stresses, outras histórias e, claro está, sempre, o meu gosto pessoal.

Espero ter respondido a "porquê". Passando a "como?", e tentando ser o mais sucinto possível, aí vai: Tendo conhecido algumas escalas amplamente utilizadas, optei por utilizar uma versão modificada da escala Davis. Há dois motivos principais para ter feito esta escolha: 1) Por questões de cultura e geografia, uma escala de um a vinte, com subdivisões de meio valor, é a que mais se aproxima da minha vivência pessoal e 2) Esta escala, ideada e trabalhada por outros (e que outros!), traz já, por assim dizer, de fábrica, um espacinho para os factores subjectivos da apreciação.

Para a natureza da modificação que implementei, basta comparar os intervalos base da escala original,

17 - 20 - Wines of outstanding characteristics having no defects
13 - 16
- Standard wines with neither outstanding character or defect
9 - 12
- Wines of commercial acceptability with noticeable defects
5 - 8
- Wines below commercial acceptability
1 - 5 -
Completely spoiled wines

com o "acerca de" que há muito consta da faixa lateral do blogue, dado que, no que toca a como se contabilizam os pontos, a única alteração face ao original, cuja transcrição segue. . .


Appearance (2 points) - The wine is given 2 points if it is brilliant, with no dullness, murkiness, or particles of sediment. If it is clear, but not flashing with light reflections, it rates 1 point. If full or cloudy it gets 0.

Color (2 points) - Acceptable colors for white wines are varying shades of yellow, gold, straw. Flaws are any amber tones, indicating oxidation. A rosé can be a true pink, or by reason of its grape source, tinged with deeper red or orange. Overly violet tints, brown tints of amber or deep red are faults. The color of red wines depends greatly upon the grape variety. Pinot Noir may be light enough to verge on transparency. Cabernet or Zinfandel will be deep red. Newer or younger wines will often have blue-purple edges, as older wines will show bronze edges.

Aroma and Bouquet (4 points). Aroma is the sensory impression arising from the mouth with the assistance of the sinus chimneys. Bouquet is fragrance detected by the nose. Either may be vinous, smelling like wine, but without any grape variety characteristics. The intensity may be light, medium, or high. Negative factors are odors that can be described as alcoholic, excessively woody, moldy or corked.

Volatile Acidity (2 points) - This is the term for Vinegary-ascensence. Does the wine smell of vinegar? If not, it rates 2 points. A slight vinegar smell will rate 1 point. If it smells of vinegar it rates 0.

Total Acidity (2 points) - Felt in the mouth, around the edges of the tongue, it is wine's refreshing zing. If low, the wine is flat, flabby or soapy. It can be too high with unpleasant sharpness.

Sweetness/sugar (1 point) - Sugar and total acidity go together. Overly set for the wine's type is a fault, as is overly dry.

Body (1 point) - This is the wine's viscous nature identified as mouth-feel, also the binges, or alcoholic strength.

Flavor (1 points) - The flavor should correspond with the bouquet and aroma, being clean, fruity, full or balanced. It should not be metallic, steamy, or alien in character.

Astringency (2 points) - Tannins give a wine astringency (or bitterness), and so does the wood in which wine is aged. Younger wines will be rougher than older wines. The ideal is mellow softness, velvet, roundness. A young wine is not discounted for a natural tannin.

General Quality (2 points) - The only category for subjective appraisal, adjusting the score on the basis of the wine's total performance.



. . . foi ter permitido sub-intervalos de valor ½ e tirado um ponto à "aparência", que assim passou a um binário bom/mau (que, tendo em conta os demais valores, para mim até faz mais sentido) e outro à "cor", valores que reassignei ao item "diversos" em nome de uma maior flexibilidade. Bem sei que isto poderá parecer um recurso pobre, ou talvez parvo, quem sabe. . . mas, para mim, tem funcionado.

Ora, em suma, temos:

Cor + aparência: aspectos visuais, 1+1=2pts,
Aroma + volátil: "nariz", 4+2=6pts,
Doçura vs. acidez + corpo + sabor + adstringência: "boca", 1+2+1+1+2=7pts e
Diversos, tudo o mais que possa ter influenciado a prova, onde tanto pode entrar o equilíbrio grande de um vinho de coisas pequenas, o estado de espírito aqui do J por estar escuro e a chover ou o facto de gostar mais de um Syrah seco e austero do Ródano que de um seu doce e flácido correspondente alentejano.

Penso termos ficado com este quadro. . .

19 - 20 - Excepcionais
17,5 - 18,5 - Muito bons
16 - 17 - Bons
14 - 15,5 - De "razoáveis" a "bonzinhos"
10 - 13,5 - Sem interesse
<10 - Imbebíveis, não publicados

um pouco melhor explicado. Falta só relacionar os valores que dele constam com os da outra escala de referência — lol — a do sr. Parker, claro. Para mim, esta será das melhores aproximações:

<50 : <10 54-55 : 11,5 68-71 : 13,5 83-84 : 15,5 91-92 : 17,5 99 : 19,5
50 : 10 56-59 : 12 72-75 : 14 85-86 : 16 93-94 : 18 100 : 20
51 : 10,5 60-63 : 12,5 76-79 : 14,5 87-88 : 16,5 95-96 : 18,5
52-53 : 11 64-67 : 13 80-82 : 15 89-90 : 17 97-98 : 19

Por fim, nunca será de mais salientar que, embora não publique notas sobre os vinhos que bebo "porque sim", regra geral, são os posts não vínicos aqueles que me dizem mais — e aqueles em que realmente tento dizer algo a alguém. Pensem nisto, fantasmas do blog :) Termino com o enlace para uma valente discussão sobre o assunto supra esgravatado, aqui.