sábado, 27 de julho de 2019

Falua - Reserva '2017 (Branco)

Este branco faz parte da nova gama "premium" da Falua, vinícola Ribatejana que começou sob a batuta de João Portugal Ramos e agora faz parte do Grupo Roullier.

A amostra foi gentilmente enviada para prova, pelo produtor, há mais ou menos meio ano atrás. Encontrando-se o blogue em coma, foi arrumada. Agora que o monstro  voltou à vida, pareceu-me adequado consumi-la e deixar aqui umas linhas sobre ela. Talvez este não seja o timing mais esperado ou desejado para efeitos de comunicação, mas também é verdade que um vinho com estas características, e preço, não passa de bestial a besta em meia dúzia de meses, e que a divulgação, assim, espalhada no tempo, em vez de por picos de novidade, também tem o seu valor. Sim, sim, escrevi isto, votem no puto.

Muito sucintamente, encontrei este vinho citrino e carregado. Citrino e carregado na cor, nos aromas, onde também desponta certo floral, doce, indefinido, junto com tostados de barrica, e nos sabores, intensos e bons, em corpo de peso e volume não negligenciáveis, com alguma untuosidade e guiados por uma acidez que, apesar de sólida, firme, me pareceu portar-se melhor se ajudada, mantendo-se a temperatura reduzida.

É um bom vinho, um bom vinho com mais porte que amplitude, mais corpo que alma -- para a mesa, e mesa com substância, como peixe assado e outros que tais.

As castas são Arinto, Verdelho e Fernão Pires; o PVP recomendado pelo produtor, 13,50€.

16